Notícias

Fique por dentro!
Início » A herança maldita do PSDB em Minas

A herança maldita do PSDB em Minas

Desde o resultado das eleições para o Governo de Minas, uma grande preocupação percorre os corredores da Assembleia Legislativa: como Fernando Pimentel irá conseguir reverter o quadro desastroso deixado pelos 12 anos de governos tucanos em Minas Gerais?

Os governos de Aécio, Anastasia e Alberto – a trinca de Ás responsável pela derrocada do Estado de Minas Gerais – levaram ao sucateamento dos serviços públicos em todas as áreas. O malfadado Choque de Gestão deixa o estado em situação de caos, afunilando nossa economia e colocando Minas Gerais na contramão do desenvolvimento.

Reconstruir Minas Gerais será o maior desafio da gestão de Fernando Pimentel. Veja alguns dos problemas que o petista terá que enfrentar a partir de 1º de janeiro:

Educação – Os professores mineiros não recebem o Piso Salarial Profissional Nacional definido por Lei Federal. Nem o mínimo constitucional para a Educação (25% da receita estadual) é aplicado, o que gerou uma dívida com o setor de 8 bilhões de Reais. Faltam mais de 1 milhão de vagas para o Ensino Médio na rede pública. Por causa da falta de estrutura, existem escolas estaduais funcionando em locais antes utilizados como motel e posto de gasolina. Fora o quadro de instabilidade causado pela extinção da Lei 100.

Saúde – Também sem a aplicação do mínimo constitucional para a Saúde, os mineiros seguem marcados pela amarga gestão do SUS/MG. Nenhum novo hospital. Nenhum programa estruturador. Some-se a isso uma ação movida pelo Ministério Público que questiona desvios da verba da Saúde para a Copasa da ordem de mais de 5 bilhões de Reais. Outra ação questiona um superfaturamento na compra de medicamento entre 2008 e 2012, que causou um rombo de 28 milhões de Reais aos cofres públicos mineiros.

Economia – Acumulada principalmente nos últimos 12 anos, a dívida pública mineira está estimada em 102 bilhões de Reais, colocando Minas Gerais na posição de 2º estado mais endividado do país. Apesar dos pagamentos de juros e amortização, a dívida cresce. A crise pela qual passa nosso estado já garantiu para 2015 baixas orçamentárias nas secretarias de Planejamento e Gestão, de Transportes e Obras Públicas e na de Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Previdência – A extinção do Funpemg (Fundo de Previdência do Estado de Minas Gerais) como forma de apropriação dos recursos do fundo para cobrir os déficits do caixa mineiro foi um dos maiores golpes contra o povo de Minas Gerais. Ainda assim, somente no ano passado, o Tesouro Estadual precisou fazer um aporte de 5,9 bilhões de Reais para cobrir o pagamento de benefícios previdenciários. Parte desse dinheiro foi excluído do pagamento com despesas de pessoal.

Será preciso muito trabalho de Fernando Pimentel a da base aliada na ALMG para dar conta do recado. Mas com grande força de vontade e com o apoio da população, será possível levar o estado de Minas Gerais a resgatar o respeito e relevância que possui no cenário nacional. Sem Choque de Gestão, sem as cartadas da trinca de Ás que derrubaram a vontade de vencer do povo de Minas Gerais.

Cadastre-se e receba o conteúdo especial que preparamos pra você!

Comentários

  1. Jairo - 6 de novembro de 2014

    Educação; não conheço ninguém sem estudar por falta de vagas em minas, e olha q moro na região mais pobre do estado. Salários foram igualados, professores q reclamam eram os que ganhavam sem trabalhar suficientemente.
    Saúde; só não se compara com sp, mas e melhor q todos outros estados.
    Economia; vivemos num país q não cresceu nos últimos quatro anos, assim como eu não cresci, minha cidade não cresceu, meu estado nem meu país cresceram.
    Previdência; aposentados são as pessoas que mais têm dinheiro em minha cidade, nunca vi uma greve dois mesmos por falta de pagamento.
    O futuro governador, assim como o atual terá as mesmas dificuldades de gestão, controle dos gastos, por estarem dentro do mesmo país, que e gerenciado por alguém de um partido ou não.

  2. Dennerson - 6 de novembro de 2014

    Onde se ler: Nem o mínimo constitucional para a Educação (12% da receita estadual) é aplicado,

    O certo é: ( 25% da receita estadual )

  3. Adevaldo Rodrigues de Souza - 6 de novembro de 2014

    O que mistério público vai fazer para enquadrar a trinca de Ás? O povo pede resposta.

  4. ROBSON ALMEIDA HENRIQUE - 6 de novembro de 2014

    ESTAMOS TORCENDO PARA QUE O NOSSO GOVERNADOR ELEITO; QUE JÁ DEMONSTROU SER BOM DE SERVIÇO, SUPERE ESTES DESAFIOS!!!!

  5. Andréa Cardoso da Silva - 6 de novembro de 2014

    Olá, Boa Tarde!
    Gostaria de deixar um apelo a todos o deputados que foram eleitos para o pleito 2015/2019.Sou ATB servidora lotada na SEE, efetivada Lei 100/07 e como todos que se encontram nesta mesma situação, estou muito preocupada com minha situação ano que vem. Durante as inscrições para o atual concurso da SEE, nós servidores efetivados, recebemos cartas do governo garantindo que não precisávamos fazer o concurso, pois estávamos garantidos.Agora nos deparamos com o fantasma do desemprego e do descaso e sem direito a nenhum acordo.O que vamos fazer? Por favor Srs. Deputados olhem por nós.
    Um grande abraço,

    Andréa Cardoso

  6. José Celso - 6 de novembro de 2014

    Uma correção, pela constituição o Estado deve aplicar o mínimo constitucional de 25% das receitas!

  7. José Celso - 6 de novembro de 2014

    Uma correção, pela constituição Federal,é obrigação do Estado aplicar no mínimo 25 das receitas em educação!

  8. Ronaldo - 7 de novembro de 2014

    Muito bom Deputado. Contamos com a equipe do Pimentel e toda bancada do PT na Assembléia e ainda com o apoio irrestrito do Presidente Dilma, para moralizarmos a administração do Estado de Minas Gerais.

  9. DARCY BRASIL RODRIGUES DA SILVA - 7 de novembro de 2014

    Bem, Rogério, estou aqui no Sul de Minas disposto a colaborar. Sou ex-militante do PCdoB. Trabalhei no Cesec do Banco do Brasil em Belo Horizonte, onde fui delegado sindical, na rua da Bahia. Estudei Medicina na UFMG, sem ter podido, infelizmente, concluir o curso. Conheço a deputada eleita Marília, por exemplo, e ela me conhece. Atualmente sou filiado ao PT do Rio de Janeiro. Entretanto, tive que me mudar para Itajubá MG há cerca de um ano , onde estou tentando reestruturar a minha vida. Nesta campanha , atuei como franco atirador nas redes sociais e nas ruas.

    Não tenho uma visão de conjunto do Estado como um todo, embora tenha vivido em Belo Horizonte durante 11 anos e em Viçosa, durante 3 anos. Aqui no Sul de Minas, região de penetração da influência política e ideológica do Estado de São Paulo, o PSDB venceu as eleições. Porém, é de Itajubá o deputado estadual reeleito Ulisses Gomes, que eu não conheço e que não me conhece. A minha avaliação é de que , em primeiro lugar, o PT de Minas terá que fortalecer a aliança com o PMDB ( pertence a essa agremiação, por exemplo, a prefeitura de Itajubá). Sem essa aliança, será impossível enfrentar a fortíssima resistência inercial da máquina montada pelo PSDB no estado. Em segundo lugar, há que fortalecer os vínculos e a participação dos movimentos sociais. Um decreto do governado Fernando Pimentel similar ao decreto de Dilma, derrubado pela Câmara de Deputados, que incentiva a participação dos movimentos populares seria bastante positivo para deflagrar e catalisar no estado o fortalecimento desses movimentos sociais, em defesa de uma agenda popular que exerça o necessário poder de pressão sobre a Assembléia Estadual, e que produza a necessária mobilização , conscientização e organização dos trabalhadores e do povo aqui em Minas, em correspondência concomitantemente com as necessidades de apoio ao próprio governo Dilma, a nível nacional. Por último, há que ter muito cuidado na frente da comunicação. Não é possível que se cometa, ao nível do Estado de Minas Gerais, os mesmos erros que se verificaram no plano federal ou, a título de exemplo, na prefeitura de São Paulo. O cerco da mídia mineira ao governo de Pimentel, em minha opinião, será tão – ou até mesmo mais – acirrado quanto o cerco da mídia corporativa nacional ao governo Dilma. Trata-se de mídia partidarizada e aecista, que não mudará sua postura pelo fato de Pimentel ter vencido as eleições, a não ser pelo fato de que, em vez de sonegar as denúncias e informações negativas contra o governo do estado como fez ao longo destes últimos 12 anos, passará a agir tal como vem fazendo a mídia corporativa em relação ao governo Dilma, sonegando agora as informações positivas relacionadas aos atos do governo petista e exagerando na agenda denuncista, visando preparar o terreno político para um futuro regresso do PSDB ao governo de Minas em 2018, em um projeto que, provavelmente, relançaria Aécio à presidência e Anastasia ao governo do Estado, além de dois nomes de peso ao senado. Resolver a contradição na frente da luta política e ideológica que passa pela capacidade de comunicação com os trabalhadores, a juventude e o povo mineiro em geral torna-se a prioridade número do governo popular para ser resolvida desde o primeiro dia de sua posse. UM GRANDE ABRAÇO!

  10. junio fernandes gontijo - 7 de novembro de 2014

    Há décadas, nós professores de Minas Gerais,estamos aguentando todo tipo de abuso e mentiras por parte do Governo e imprensa. Pimentel é nossa última esperança, ou seja, queremos receber o Piso Nacional tal qual determina a lei. Qualquer proposta que não esta será mera engabelação…

  11. luiz - 7 de novembro de 2014

    Sou professor do estado e gostaria de saber quando já devo receber o tão sonhado piso, será que já em fevereiro Nosso querido Pimetel já consegue resolver isso para a gente?

  12. jose elias gomes - 9 de novembro de 2014

    Boa tarde ,Deputado Rogerio Correia.
    Sempre acompanhei seu trabalho como parlamentar,e,sempre votei em você.
    No PT,desde a primeira eleição de LULA, a presidência da Republica.Tenho afinidades com as teses do PT.Estou te mandando este email para parabeniza-lo por vitória nas eleições,ao, FERNANDO PIMENTEL e a DILMA . O pt sempre foi um partido muito atacado por uma parte da ´´ELITE RAIVOSA“ mas sempre deve deixar de lado e tocar sempre para frente.Caro Rogerio,fiz minha inscrição no PT,a duas semanas,espero poder ajudar o partido de alguma forma,apos a filiação definitiva.Abracos,JOSE ELIAS GOMES

  13. José Ayrton Nogueira Baptista - 11 de novembro de 2014

    Votei em Pimentel e na Dilma. Porém acredito que ambos não conseguirão serem bem sucedidos nas respectivas gestões, pois os recursos disponíveis são escassos para investimentos em obras e o custo com a máquina pública é altíssimo. Foram feitas muitas promessas eleitorais, que certamente não serão cumpridas. No caso nacional, em torno de 46% do orçamento são destinados ao pagamento de juros da dívida (que mereceria uma auditoria)!!! No caso de Minas, não sabemos qual percentual está comprometido. Além disto, falta postura de estadista nos governantes, para tomarem decisões importantes, pois em geral, qualquer que seja o partido político, o objetivo dos políticos é manterem-se no poder, a qualquer custo. Acredito que continuará o apoio às grandes empreiteiras e aos bancos, maiores beneficiados com o dinheiro público. Outra questão reprovável é a permissão de propaganda das gestões dos governos, tal como a atual vencida está fazendo no apagar das luzes. Só que a próxima gestão deve continuar seguindo a cartilha…

  14. luiz Gonzaga Nogueira - 12 de novembro de 2014

    É como vai ser difícil,é preciso ter muito amor ao povo de Minas para poder superar estes desafios. É agora acho incrível o que os PSDBiostas estão,achando no direito de cobrar aquilo que eles não fizeram durante esses anos todos e agora só porque perderam as eleições querem que a situação que eles deixaram se resolva de uma hora para a outra,um absurdo,da parte deles querer cobrar de imediato o que eles fizeram durante anos. eles estão com raiva porque perderam as eleições, não é assim não querem cobrar na intenção de denegrir a imagem do PT e da Presidenta, que tanto tem feito para acabar com a fome dos que eles deixaram a margem da sociedade,e se esbaldando dos cofres públicos. Que vergonha para o nosso querido estado. A mamata acabou,agora quem governa
    é o PT,mas o povo mineiro tem que ter muita paciência,pois o estrago foi muito grande. Mas nós depositamos nossa confiança np PT e temos a certeza que este caos se resolverá. Não nos deixemos levara pela oposição que quer intimidar a Presidenta e todo seu partido,não acreditam nessas besteiras que andam dizendo por aí. Agora é nos unirmos e solucionar os problemas que são muitos,mas que não são impossíveis de saná-los. Estou com vcs e se deus quiser trabalhando com honestidade,justiça e respeito vamos chegar lá num Brasil mais humano e fraterno, sanando as diferenças e desigualdades,que não faqz do se humano o direito de ter sua dignidade e viver bem enquanto estiver neste mundo,onde todos somos irmãos e filhos do mesmo Deus.Assim seja!

  15. Arnaldo Costa - 28 de janeiro de 2015

    Isso é apenas uma parte do estrago que esses governos de picaretas deixaram. Houve na verdade um assalto aos cofres público, inclusive da CEMIG, favorecendo uma minoria de comparsas desse bando em detrimento de toda a população. Tudo isso com a cumplicidade de uma imprensa cínica e partidarizada.

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *