Notícias

Fique por dentro!
Início » Um dia de judiciário no Brasil do golpe

Um dia de judiciário no Brasil do golpe

 

 

6h: Em editorial, jornal O Globo defende que o ex-presidente Lula deve ser preso.

7h: Samantha Ribeiro Meyer, ex-mulher do ministro Gilmar Mendes, do STF, é nomeada para cargo de conselheira da Itaipu Binacional, empresa que controla a Hidrelétrica de Itaipu, no Paraná.

16h: Rafael Braga, catador de latas, negro, pobre e com tuberculose que contraiu no presídio, é condenado em segunda instância. Ele foi preso no Rio, em 2013, por portar dois frascos plásticos com produtos de limpeza durante uma das manifestações de junho.

17h: Numa velocidade nunca vista antes, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região marca para 24 de janeiro do próximo ano o “julgamento” em 2ª instância do ex-presidente Lula.

20h: Nos EUA, o ministro Gilmar Mendes afirma à imprensa que Lula ficará inelegível se condenado pelo TRF-4 daqui a um mês e meio.

* Neste 12 de dezembro de 2017, completam-se 19 anos e três meses desde que o ex-governador e ex-presidente do PSDB Eduardo Azeredo usou recursos do chamado mensalão tucano. Seu inquérito, desde a acusação formal pelo procurador, completou 10 anos e um mês. O político continua livre, leve e solto.
Rogério Correia, deputado do PT

Cadastre-se e receba o conteúdo especial que preparamos pra você!

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *