Notícias

Fique por dentro!
Início » Saúde: Lula e Dilma enfrentaram boicote de forças conservadoras e fortaleceram o SUS

Saúde: Lula e Dilma enfrentaram boicote de forças conservadoras e fortaleceram o SUS

Saúde pública universal e de qualidade é consenso na sociedade, certo? Tese defendida e apoiada por todos… Na verdade, não é bem assim. Em dois momentos recentes dos governos Lula e Dilma forças conservadoras se uniram para derrubar propostas que garantem mais recursos e ampliam o atendimento médico em áreas e cidades desassistidas: a Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) e o programa Mais Médicos.

medicos-estrangeiros_saude
Médicos estrangeiros estão garantindo atendimento de saúde em localidades de todo o Brasil que estavam desassistidas Foto: Divulgação/MDS

Derrotando o governo no Congresso Nacional no final de 2007, essas forças conservadoras conseguiram acabar com a CPMF. Da noite para o dia, foram retirados do Orçamento da União R$ 40 bilhões anuais. Eram esses os recursos que o imposto de 0,38% sobre os cheques provia ao Sistema Único de Saúde. O objetivo da oposição era atingir o presidente Lula e enfraquecer o seu governo, para derrotá-lo nas eleições de 2010. Mas quem pagou a conta foi o povo, a saúde do povo.

Seis anos depois, uma nova investida tentou inviabilizar o programa Mais Médicos, preparado para dar aos brasileiros mais pobres o acesso aos médicos que a classe média e os ricos sempre tiveram. O preconceito e a mentira se uniram para, vejam só, atingir Dilma às vésperas das eleições de 2014. E, mais uma vez, as vítimas foram as camadas populares. Aquelas que mais necessitam de uma saúde pública inclusiva e de qualidade.

Mas nem Lula nem Dilma se curvaram às pressões. O resultado é que, mesmo sem a CPMF, nunca se investiu tanto em saúde no Brasil como nestes últimos 12 anos : o recurso per capita passou de R$ 244,80 em 2003 para R$ 413,00 em 2013. Além disso, o programa Mais Médicos já é uma realidade que beneficia 50 milhões de brasileiros.

Mais Médicos amplia Saúde da Família

Os 14 mil profissionais contratados pelo programa Mais Médicos até maio de 2014 vieram fortalecer o alicerce principal da atenção básica no Brasil, a Estratégia Saúde da Família, elevando para mais de 34 mil o número das equipes preparadas para acompanhar diariamente a saúde das populações nas periferias das grandes cidades e municípios médios e pequenos do interior.

Compromisso com o investimento no SUS

Os opositores não poderiam imaginar que a reação do governo ao fim da CPMF fosse exatamente o oposto do que se esperava: o Ministério da Saúde aumentou os recursos para a área, ampliando programas como a melhoria na atenção básica, os investimentos nos serviços de emergência e a distribuição de remédios para evitar doenças crônicas.

saude-01

Na última década, as ações de saúde se tornaram parte de uma estratégia de inclusão social para milhões de brasileiros em todos os cantos do país.

• Prefeitos reconhecem importância do Mais Médicos:

[youtube]https://youtu.be/wAYudSIyscA[/youtube]

• Profissionais inscritos querem ajudar quem mais precisa:

[youtube]https://youtu.be/D2IzOSttr6c[/youtube]

Palavra do Lula

[youtube]https://youtu.be/yHOHI00FIQQ[/youtube]

Palavra da Dilma

[youtube]https://youtu.be/Vozd9-T5zGU[/youtube]

Fonte: Portal Brasil da Mudança

Cadastre-se e receba o conteúdo especial que preparamos pra você!

Comentários

  1. Arny C. Melo - 20 de Maio de 2016

    É verdade que a câmara federal dos deputados votaram uma lei que o SUS fosse obrigado a perdoar uma divida monstruosa que os planos de saude privado tem para com o SUS e que esta lei foi aprovada pela câmara, mas À ainda presidenta Dilma VETOU. E que agora no governo Temer o ministro da saúde é um engenheiro civil e que esta realizando todos os esforços para que o SUS perdoe esta divida.

    Arny

Deixe uma resposta para Arny C. Melo Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *