Notícias

Fique por dentro!
Início » Revista Veja mente: laudo confirma autenticidade da Lista de Furnas

Revista Veja mente: laudo confirma autenticidade da Lista de Furnas

Imagem divulgação

A revista Veja, conhecida por apresentar uma linha editorial antipetista e de orientação tucana, publicou matéria citando inverdades sobre o Caso “Lista de Furnas” em sua edição do último dia 10/12/2011. A intenção seria uma tentativa de intimidar a oposição mineira na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, notadamente a atuante ação parlamentar do deputado estadual Rogério Correia (PT).

Conforme prometido, ele apresentou à imprensa o laudo da Polícia Federal que atesta ser autêntica a Lista de Furnas, bem como a sentença judicial que desqualifica a acusação feita contra Nilton Monteiro. Ou seja: quem produziu a lista foi Dimas Toledo, presidente de Furnas; ele é quem anuncia que tucanos receberam dinheiro de caixa dois.

A comprovação dessa autenticidade é a sentença proferida em 2009 pela juíza Maria Luiza de Marilac Alvarenga Araújo que inocentou Nilton Monteiro da acusação feita em “queixa crime”, ajuizada por José Carlos Aleluia (processo 024.06.029.163-0). Na peça, Aleluia acusa Monteiro de ter inventado e divulgado a lista, em novembro de 2005, citando o seu nome como beneficiário de propina recolhida ilegalmente de empresas prestadoras de serviços à Furnas.

A decisão da juíza foi fundamentada em laudo feito pelo Instituto Nacional de Criminalística da Polícia Federal (PF). Através de exame documentoscópico feito no documento original da lista de Furnas, constatou-se que a assinatura era mesmo de Dimas Toledo e que a lista realmente não foi montada, sendo portanto autêntica. Em sua peça, a juíza também afirma que a lista nem mesmo veio publicamente à tona por meio de Monteiro e, sim, pelo então deputado Roberto Jefferson. Essa decisão judicial foi confirmada pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais.

Com isso, torna-se clara a intenção de Veja em requentar o fato através de uma matéria que sequer se baseou no laudo pericial que foi feito no documento original da lista de Furnas, além da divulgação de transcrição de gravações que não fazem o menor sentido. Na verdade, o tiro saiu pela culatra, pois o que a revista fez foi acusações à Justiça e à Polícia Federal, considerando-as incompetentes e coniventes. Sem querer, Veja acabou trazendo a público as íntimas relações de Dimas Toledo com o ex-governador Aécio Neves e com outros tucanos em Minas e no Brasil.

“Vamos reforçar junto à Polícia Federal e ao Ministério Público o pedido de investigação do conteúdo da lista, ou seja, queremos saber quem doou e quem recebeu dinheiro do caixa dois”, afirmou o deputado Rogério Correia. Todo o processo sobre o Caso Furnas tramita em segredo de justiça no Estado do Rio de Janeiro.

(Movimento Minas sem Censura)

Leia, abaixo, trecho da sentença da juíza do TJMG que atesta a autenticidade do documento,  contrariando a versão do então deputado José Carlos Aleluia Costa.

 

 Leia, abaixo, trecho do laudo da Polícia Federal  que atesta não haver montagem ou alteração do documento original periciado.

 

Confira, abaixo, os documentos na íntegra:

Laudo de exame documentoscópico

Sentença proferida pela Juíza de Direito, Maria Luíza de Marilac Alvarenga Araújo

Cadastre-se e receba o conteúdo especial que preparamos pra você!

Comentários

  1. Richard - 12 de dezembro de 2011

    Boa socialização de informações, já repassei para minhas redes. Parabéns

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *