Notícias

Fique por dentro!
Início » Servidores adoecidos Lei 100 : esclarecimentos sobre a Lei Complementar 145/12

Servidores adoecidos Lei 100 : esclarecimentos sobre a Lei Complementar 145/12

ATENÇÃO servidores adoecidos Lei 100 #EDUCAÇÃOMG!

Leia abaixo os esclarecimentos do Sind-UTE sobre a Lei Complementar 145/17, conquistada pela categoria no ano passado. A LC 145, de autoria do governador Fernando Pimentel, garante a continuidade dos servidores Lei 100 que estavam adoecidos em dezembro de 2015 e outras vantagens que foram incluídas a partir de emendas, de minha autoria, sugeridas pelo Sind-UTE.
#SempreNaLuta

Adoecidos ex-lei 100

Informações sobre a Lei Complementar 145/17

 Adoecidos Lei 100

Nesta segunda-feira, dia 22 de janeiro, o Sind-UTE/MG reuniu-se com a equipe da Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) para encaminhar questões pertinentes à aplicação da Lei Complementar 145/17 conquistada pela categoria em 2017.

A LC 145/17 garante a continuidade do vínculo dos/as servidores/as que, em dezembro de 2015, estavam adoecidos/as e eram da Lei Complementar 100/07 e é resultado da luta coletiva do Sindicato.

Em 2016, a mobilização convocada pelo Sind-UTE/MG logo no início do ano garantiu que –  quem havia sido desligado/a do Estado –  mas estava doente, voltasse a ter vínculo enquanto estivesse doente. Isso aconteceu por meio da Lei Complementar 138/16. Além disso, também conquistamos o direito à Assistência Médica do IPSEMG para quem era da Lei Complementar 100/07, mesmo que estivesse sem vínculo com o Estado e a dispensa da perícia médica para nomeação em concurso público.

No entanto, a Lei Complementar 138/16 garantia o vínculo dos/as servidores/as adoecidos/as até 31/12/17. Durante o segundo semestre do ano passado, o Sind-UTE/MG mobilizou para que o prazo fosse alterado e também que novas propostas fossem incluídas de modo a garantir mais direitos. Assim, a Lei Complementar 145/17 contemplou não apenas a prorrogação do prazo de licença médica para dezembro de 2019 como também garantiu os seguintes direitos que foram apresentados como emendas ao projeto original e foram aprovadas:

– Atualização dos salários com os reajustes que a categoria recebeu desde 2015 e garantia de pagamento do 13º.

– Manutenção do salário entre uma perícia e outra, sem a descontinuidade de pagamento que estava acontecendo.

– Direito de aposentadoria voluntária e não apenas por invalidez.

 

Encaminhamentos e orientações a partir da reunião realizada pelo Sind-UTE, para quem se encontra afastado/a por motivo de saúde e era vinculado pela Lei Complementar 100/07: 

1) Quem não recebeu o pagamento integral do mês de dezembro de 2017: 

A pessoa deve procurar a Superintendência  Regional de Ensino a que pertence e solicitar o pagamento em atraso. Na SRE tem um formulário próprio para esta situação.

2) Situação das datas das perícias em função da greve dos peritos: 
Enquanto os peritos estiverem em greve, todos os prazos que dependam de perícia médica serão dilatados. Uma orientação  sobre isso será encaminhado pela Seplag e SEE. As licenças estão sendo prorrogadas até que a greve seja resolvida.

3) Quem adquiriu direito à aposentadoria voluntária: 
O afastamento será priorizado. A orientação é que a pessoa que já tenha cumprido os requisitos para a aposentadoria voluntária faça a solicitação de aposentadoria na Superintendência Regional de Ensino. Orientações sobre estes procedimentos serão enviadas nos próximos dias para todas as Superintendências. O Sind-UTE/MG vai divulgá-las.

4) Atualizado do salário para os valores atuais do vencimento básico e abono. 
A Seplag verificará se será necessário algum procedimento interno para a regulamentação.

5) Continuidade do recebimento do salário entre um perícia e outra. 
Os procedimentos internos da Seplag para este encaminhamento já foram feitos. A mesma informação para o pagamento é para o IPSEMG uma vez que sem interrupção de pagamento não há interrupção da assistência médica, cumprindo assim o que estabelece a Lei Complementar 145/17.

Leia também:

Servidores da educação pedem mais mudanças para os atingidos pela Lei 100 de Aécio

Cadastre-se e receba o conteúdo especial que preparamos pra você!

Comentários

  1. Meire Borges Farnezi Fernandes - 28 de Janeiro de 2018

    Quero receber no meu email as informações pertinentes a lei 100

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *