Notícias

Fique por dentro!
Início » Lei 100 e o caos da educação: o legado da gestão Anastasia

Lei 100 e o caos da educação: o legado da gestão Anastasia

 

Deputado Rogério Correia e a coordenadora do Sind-UTE/MG Beatriz Cerqueira em manifestação dos servidores da educação em frente à Assembleia Legislativa / Foto: Sandro Abreu

A Assembleia Legislativa de Minas Gerais ficou movimentada nesta quinta-feira, dia 3 de abril. Quase dois mil servidores da educação ocuparam as dependências da casa em protesto à irresponsabilidade do Governo do Estado em relação à Lei 100, que foi julgada inconstitucional pelo Supremo Tribunal Federal e demitiu 71 mil servidores mineiros esta semana. Uma cena que deixou marcado o último dia da gestão Anastasia e denunciou o maior legado deixado pelos governos tucanos em Minas Gerais: o caos na educação mineira.

A Lei Complementar n°100 foi criada em 2007 durante a gestão do então governador Aécio Neves e permitiu a investidura de 98 mil cidadãos em cargos públicos efetivos sem que houvesse concurso público. O que muitos não sabem é que a Lei 100 fazia parte de uma negociação entre o Governo do Estado e o Ministério da Previdência, que, em troca da incorporação de milhares de servidores ao sistema previdenciário, cedeu à gestão Aécio Neves o certificado de regularização previdenciária (CRP). O CRP é necessário para se obter recursos da União e possibilita a tomada de empréstimos de bancos internacionais. Uma medida de Choque de Gestão temerária, eleitoreira e irresponsável, que prejudicou milhares de famílias mineiras e serviu para aumentar a dívida do Estado.

 

Governo enganou servidores desde o início

A promessa de estabilidade na carreira foi a principal arma de Aécio Neves ao iludir os servidores da educação que caíram na armadilha da Lei 100. Uma carta enviada pelas secretárias de Estado Renata Vilhena (Planejamento e Gestão) e Ana Lúcia Almeida Gazzola (Educação), enviada em 2011 aos servidores efetivados pela Lei 100, induziu os servidores a acreditar que seus cargos estariam garantidos pela lei. Hoje, 71 mil servidores enganados pelo Governo do Estado pairam na incerteza do seu futuro, sem emprego garantido e buscam a garantia de seus direitos.

Carta enviada pelo Governo do Estado aos servidores efetivados pela Lei 100

 

Manifestação reuniu quase 2 mil servidores

A manifestação organizada pelo Sindicato Único dos Trabalhados em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG) reuniu quase dois mil servidores na ALMG. Os manifestantes gritaram palavras de ordem, cantaram músicas de protesto e realizaram um ato em frente ao prédio principal da ALMG. A coordenadora do sindicato, Beatriz Cerqueira, denunciou as mazelas enfrentadas pelos servidores estaduais.

Os ocupantes permaneceram na ALMG até conseguirem uma reunião com o Governo do Estado, o que só foi ocorrer quase meia-noite. Durante este tempo, o deputado Rogério Correia permaneceu com a categoria e negociou uma reunião entre governo estadual e sindicato. O encontro foi agendado para esta sexta-feira, 4 de abril, às 15h.

Estiveram presentes na manifestação servidores de Belo Horizonte, Contagem, Itaobim, Medina, Diamantina, Sete Lagoas, Jordânia, Ipatinga, Coronel Fabriciano, Turmalina, Vespasiano, Perdões, Alfenas, Unaí, Montes Claros, Espinosa, Jaíba, Rio Pardo de Minas, Betim, Caratinga, Uberlândia, Ituiutaba, Juiz de Fora, Nanuque, Ponte Nova, Ubá, Capinópolis, Almenara, Uberaba, Ribeirão das Neves, Piranga, Sabará, Divinópolis, Januária, Viçosa e Bom Despacho. Confira o vídeo:

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=LoGs7OYsdgs&feature=youtu.be[/youtube]

Uma matéria sobre a manifestação também foi veiculada pela Rede Record e você pode conferir aqui.

 

O caos na educação

Além da Lei 100, outros problemas na educação têm sido alvo de denúncias dos servidores. A desvalorização dos profissionais de educação é uma constante do Governo de Minas, que mantém a carreira destes servidores congelada desde 2011, não cumpre a Lei Federal do Piso Salarial e os proíbe de se alimentar da merenda escolar. Uma determinação recente da Secretaria de Estado passou a exigir a apresentação de carteira de trabalho para estudantes entre 14 e 16 anos que queiram se matricular no período noturno. O programa Reinventando o Ensino Médio também tem sido bastante criticado, principalmente por incluir um sexto horário de aulas, forçando alunos a permanecerem até mais tarde nas escolas.

Esta semana o deputado Rogério Correia fez um pronunciamento no Plenário da ALMG denunciando os problemas enfrentados pela educação mineira. Assista:

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=G4Grr5tckM4[/youtube]

 

ALMG irá debater a questão

O caos na educação resultado do Choque de Gestão de Aécio e Anastasia será tema de audiência pública da Comissão de Administração Pública da ALMG na próxima terça-feira, dia 8 de abril, às 9h. A reunião foi requerida pelo deputado Rogério Correia após um episódio de desrespeito enfrentado pelos servidores da educação, numa tentativa frustrada de debate público sobre a educação. Foram convidadas para a audiência da próxima semana as secretárias de Estado Renata Vilhena e Ana Lúcia Gazzola, além das entidades representativas das categorias da educação pública.

Cadastre-se e receba o conteúdo especial que preparamos pra você!

Comentários

  1. Jose Evaristo da Silva - 28 de Março de 2014

    Caro Amigos professores, diante de um fato deste sentimos , muito pequeno, diante de nossa profissão. Sind-UTE, que nunca mediu esforço, para conversa , com Sr Governado , hoje sentimos nas mão um homem, que falou muito de trabalhador, onde esta na rua. Caros professores, a você , que votou neste governo, em deputado do DEM, PSDB ,e ai esta o resultado , e o momento de você agora ajudar , o Sindicato , mostrando , suas ideias , porque estamos , e ao mesmo, estamos na rua, um fragalho , diante deste governo que deixamos nós , nesta situação. Quero agradecer , ao Sind_UTE pelo que tem feito para, os professores. E os amigos que votou , de a sua opinião para o seu deputado DEM , PSDB , PPS , PP, e outros , converse com eles , agora deputado , que vamos fazer, você tem direito , votou neles , porque o PT, PMDB , Pc do B , esta lutando , cobra deles agora. Que Deus , mostra a este Governo do PSDB, DEM, para fazer algo , para nós.

  2. Carlos Silva - 28 de Março de 2014

    Boa noite,
    Prezado Deputado, mesmo diante da inconstitucionalidade da LC 100 – o senhor ainda sai em defesa dos inconstitucionais.
    Essa atitude deixa claro a sua intenção puramente ELEITOREIRA. Aproveitando-se de oportunidades. É vergonhoso seu posicionamento.
    Só falta dar as mãos aos nobres deputados da base governista. Por falar neles – onde estão – pois defendiam a LC 100 com unhas e dentes, agora……………….
    Preocupe-se em saber para onde foi o dinheiro das nossas contribuições que não foram repassadas. Mas isso pode não gerar votos – certo ou errado Deputado ?
    Quanto aos inconstitucionais – eles já sabiam que estavam errados – só não queriam aceitar. E o senhor e seus pares deputados, ainda incentivavam-nos a essa crença mentirosa e cruel.
    Tenho-lhe o maior respeito e admiração, mas esvai-se aos poucos pelo ralo da politicagem a sua credibilidade como homem público.
    Tire a viseira do rosto, Deputado, para que o senhor possa enxergar melhor quem está do vosso lado.

    Sua fala:

    Para o deputado Rogério Correia, “o Estado precisa preservar o direito destes trabalhadores, que trabalharam durante todo este período e foram enganados pelo governo.” E também por vocês deputados – inclusive seu par Sávio Souza Cruz o qual falou-me certa vez que ninguém ficará sem emprego, pois a iniciativa privada precisa e muito de professores. Então para que a preocupação.

    Que beleza a política voltada simplesmente para o VOTO. Eta nóis.

  3. SHEMAC - 29 de Março de 2014

    Pelos últimos comentários nos jornais “Estado de Minas” e “o Tempo”, parece-me que o governo de minas vai dar mais um golpe. Pelas afirmações nas reportagens todos os “efetivados” pela LC 100 serão designados (contratados) para o mesmo cargo por período de 12 meses para a função que ocupam. Essa medida está contra a decisão do STF, pois muitos estão em cargos para os quais já houve concurso, e inclusive no edital deste concurso existem as vagas e informação que poderiam aumentar conforme surgissem novas vagas (que é o caso com a saída dos efetivados). Solicito ao nobre deputado que esteja comentando a respeito e defendendo a causa também dos concursados que ainda não foram nomeados. Minha esposa é concursada e trabalhava até em fevereiro/2014 como contratada a título precário por quase 10 anos o que era muito inseguro por não sabermos o que esperar para o próximo mês.

  4. Fernando - 29 de Março de 2014

    Deputado Rogério Correia, sou do Rio, mas acompanho a sua luta em beneficio dos mais desfavorecidos. Sei que é difícil a sua luta e que criar CPIs no governo do garoto do Rio e seu substituto, é quase impossível. No paraná, S. Paulo e MG a tucanada não permite. Espero que com a criação da CPI da Petrobrás o PT vá para cima dessa corja.

  5. Joana - 1 de Abril de 2014

    Os Efetivados não fizeram concurso porque seus cargos não foram disponibilizados como vagos. Fomos informados pela SECRETARIA DE EDUCAÇÃO, que no caso da efetivação em dois cargos, teríamos que pedir exoneração de um cargo, caso passasse no concurso. Que não havia necessidade de se fazer o concurso porque nossos direitos eram iguais aos dos efetivos. Quem possuia um cargo, poderia fazer pra tentar um segundo cargo Em se tratando dos descontos em folha, não podemos negar… Esses foram feitos religiosamente,portanto,a lei precisa ser analisada com mais cuidado. Se for pra pagar por ela, que paguem os seus criadores, afinal a lei surgiu não porque pedimos, mas sim pra cobrir rombos criados por eles mesmos. Nós professores não devemos ninguém.

  6. Maria Tereza - 2 de Abril de 2014

    Boa a noite !!!
    A minha revolta é o fato de ter sofrido varias calúnias na escola e até mesmo queima de cabelo e ter passado em outros concursos e nao ter assumido . Passei em ouro preto , fui chamada nao fui pois nao consegui remoçao do cargo efetivado . Nisso tomei posse na prefeitura de uberlandia . Agora , pergunto sete anos de lei 100 e 12 de estado e ser descartada no lixo com toda minha competência . Isso realmente cabe indenizaçao . Que justiça seja feita . Não podemos ficar desempregados , fomos enganados por uma cartinha que garantia nossos direitos de efetivado . Tenho um emprestimo no meu nome , é o governo quem vai pagar ? Não posso ficar sem o emprego . Cuido da minha mae . Tenho direito em aproveitar esse concurso de Ouro Preto, o mas aqui em Uberlândia , o que pode ser feito por mim . (34)92376880

  7. Maria Antônia - 3 de Abril de 2014

    Gostaria de saber como vai ficar minha situação. Sou professora de ED.Religiosa a 24 anos.A minha aposentadoria estava prevista para fevereiro 2015,com a caída da lei 100 a situação complicou.Senhor deputado,analise as situações dos funcionários que estavam faltando menos de 5 anos para aposentar.O Supremo ao votar na inconstitucionalidade da lei 100,esqueceu que viver é constitucional.Faça valer o grito de socorro dos ex-efetivados.
    Obrigada!

  8. maria Ângela - 3 de Abril de 2014

    Passei no concurso de 2005, fui designada em janeiro de 2007 pelo concurso,pois esperava a efetivação que era a próxima a ser chamada, mas em vez de efetivar pelo concurso implantou a lei 100,e agora estou desempregada? E o concurso!!! Estou no cargo onde sou concursada e quando fui designinada o concurso era vigente e agora!!! Olha essa situação!!! O que pode ser feito!!!

  9. ILZI - 5 de Abril de 2014

    AOS MAL INFORMADOS QUE ACUSAM O DEPUTADO, POR DEFENDER A LC 100 SAIBAM QUE OS PROFISSIONAIS ATINGIDOS POR ESTA LEI, NÃO PEDIRAM, NÃO ASSINARAM, NÃO FORAM CONSULTADOS SE QUERIAM…NÃO ROUBARAM, NÃO MATARAM, E NÃO COMETERAM CRIME NENHUM O QUE FIZERAM NESTES ANOS FOI TRABALHAR…PAGAR IMPOSTOS, VIVER HONESTAMENTE. NÃO PRECISAM TRATAR ESTES PROFISSIONAIS COM TANTO REPUDIO E INDIGNAÇÃO, GUARDEM TODA ESTA REVOLTA PARA OS QUE ESTÃO DO LADO DE LA…OS QUE DESVIAM VERBAS, SONEGAM IMPOSTOS, ROUBAM NOSSAS CASAS E ASSASSINAM, NÃO TRATEM TRABALHADORES COMO BANDIDOS, CHEGA DESTA INTOLERÂNCIA BURRA.

  10. Francislene Santana - 6 de Abril de 2014

    Acho que a lei veio para somar pois com a criação desta lei 100 nos os professores passamos a trabalhar com mais entusiasmo pois estávamos seguros em nossos trabalho. Quem só causou problemas foi o sindicato que nada fez para a classe dos professores . Só criou problemas e mais problemas com greves fora da lei . Disso parece que eles esqueceram. Nosso governador é bastante inteligente , ele vai encontrar uma solução é só aguardar.

  11. Irineia - 7 de Abril de 2014

    O fazer com os concursados de 2004 não nomeados estando o concurso ainda em vigor efetivados pela lei 100 com 20 anos de serviço?

  12. ELIANE FERREIRA - 8 de Abril de 2014

    ACHO NECESSÁRIO Q TDS OS EFETIVADOS NA LEI 100 SEJAM PROTEGIDOS,,,NÃO PEDIRAM PARA SEREM EFETIVADOS,RECEBERAM EM FORMA DE CONTRA CHEQUE UMA CONFIRMAÇÃO DE SEUS DIREITOS…EXISTEM CONTRA CHEQUE.. COM DESCONTOS DO IPSEMG…E…TEEM MAIS DE 20 ANOS DE SERVIÇOS .GRADUADOS NA AREA,PELO MENOS É MEU CASO E DE UMA GRANDE TURMA..MINHA EXPERIENCIA NÃO SE COMPARA A UM CONCURSADO ,TENHO A MÃO NA MASSA…NA MINHA OPINIÃO A CLASSE PERSISTE EM DIZER Q QUEREM NOSSAS VAGAS QUE NÃO CONSTAM NO EDITAL,PQ QDO FOMOS EFETIVADOS NÃO OCUPEI VAGA DE NINGUEM…O ESTRAGO SERÁ GRANDE PORQUE EFETIVADOS TEM DIREITOS DOCUMENTADOS PARA UM BOM ADVOGADO…SOMOS VITIMAS DO SISTEMA,E ELE VAI TER Q RESOLVER…Á LUTA EFETIVADOS,AGORA,JÁAAAAAAAAA

  13. ELIANE FERREIRA - 8 de Abril de 2014

    ACREDITO QUE EFETIVADOS NA LEI 100 DEVERIAM MOVER PROCESSO CONTRA CALÚNIAS,INJÚRIAS,TRANSTORNOS E DANOS MORAIS CONTRA OS COLEGAS QUE INSISTEM EM DENEGRIR NOSSA IMAGEM.
    TRABALHADORES QUE DERAM O SANGUE E A ALMA ,PARA CHEGAR NO FINAL DA CARREIRA E ACABAR ASSIM…NÃO MESMO.
    MOVAM PROCESSOS,NÃO IGNOREM.MERECEMOS RESPEITO.

  14. Marcia - 8 de Abril de 2014

    Aos que criticam os efetivados pela Lei 100,saibam que a grande maioria entrou no estado através de concurso só que não foram nomeados.Quanto ao ex governador Aécio Neves,criar a lei 100 foi um marco em seu governo.Ele tentou resolver um problema que era de responsabilidade de outros governantes também.Espero que algo seja feito em favor dos efetivados.E QUEM PASSOU NO ÚLTIMO CONCURSO COM CERTEZA LEU O EDITAL E VIU O NÚMERO DE VAGAS QUE FORAM DISPONIBILIZADAS,SE NÃO SE CLASSIFICARAM POR QUE ESTÃO RECLAMANDO?

  15. Guilherme Antonio Diniz - 9 de Abril de 2014

    Ôôôôô Categoria sem vergonha ! De um lado uns que acreditam que os tucanos ainda vão “dar um jeitinho” para garantir os efetivados pela L100 e do outro os que acreditam que os petistas vão conseguir através de seus deputados e sind ute garantir as vagas dos efetivados pela L100 driblando a Constituição, mas em todos os casos isso só se dará depois das eleições quando os prejudicados já tiverem votado em seus salvadores ! Efetivados ilegais ou concursados…acordem !

  16. Elizete Santana Pinheiro - 9 de Abril de 2014

    estou preocupada pois soufui efetivada pela LC/100 e nao sou abilitada eouvir dizer que os sete anos da lei cem vao ser congelados e so poderao ser usados para fins de aposentadoria?

  17. ELIANE FERREIRA - 9 de Abril de 2014

    NÃO É QUESTÃO DOS TUCANOS DAREM UM JEITINHO,,,ELES TEEM OBRIGAÇÃO DE REPARAR OS EFETIVADOS ,A CULPA NÃO É DELES.
    EM CONTRA PARTIDA SE ELES NÃO AJUDAREM OS EFETIVADOS,O ROMBO SERÁ GRANDE PORQUE BASTA MULTIPLCAR O IPSEMG X70MIL, MENSAIS,QUERO VER SE MG AGUENTA,
    FORA AS INDENIZAÇOES…SE LIGAM EFETIVADOS A HORA É ESSA E INDEPENDE DO PRÓXIMO GOVERNADOR.ELES TEM QUE RESOLVER DE UM JEITO OU DO OUTRO.

  18. LIANE FERREIRA - 9 de Abril de 2014

    EFETIVADOS PESQUISEM A SITUAÇÃO ,DIZEM QUE É UMA JOGADA POLITICA
    .
    DILMA X PETROBRÁS X AÉCIO.

    TODOS QUE PARTICIPARAM NO CONGRESSO APOIAM DILAM
    SE LIGUEM…
    EFETIVADOS VAMOS NOS VINGAR NAS URNAS
    E CORRER ATRÁS DOS NOSSOS DIREITOS

  19. MARIA DE LIMA - 10 de Abril de 2014

    DEPUTADO SE ESTÁ AFRENTE DA LEI 100, FOR OU NÃO ELEITOREIRA NÃO ME IMPORTA O IMPORTANTE É QUE TEM ALGUÉM COM CORAGEM.
    NÃO PRECISA IR CONTRA A DECISÃO DO SUPREMO, BASTA FICAR DO NOSSO LADO, PROFISSIONAIS QUE DERAM AS MELHORES PROFICIÊNCIA NA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE MINAS GERAIS,A MINHA REGIONAL ESTÁ EM 5° LUGAR É POR CAUSA DE NOSSA COMPETÊNCIA ( SE NÃO ME ENGANO SOMOS UNS 80% DE SERVIDORES EFETIVADOS NO MEU SETOR). ERRARAM E NÓS ESTAMOS PAGANDO CARO MUITO CARO. PARABÉNS!!!!!!!!!!

  20. Agnaldo lopes - 22 de Abril de 2014

    Trabalho como professor a mais de 16 anos,passei em todos os concursos desde a época de Azeredo e Itamar Franco, inclusive com aproveitamento acima de 90% , porém por incopetência de todos estes governos não me tornei efetivo, fui contemplado por essa lei 100 e agora me encontro novamente na insegurança , apesar de ter passado em 1º lugar no último concurso não fui nomeado pois minha pontuação de titulação e tempo não foi computada e achei que era desnecessário entrar na justiça pois achava que estava garantido em meu cargo na minha cidade. E agora como fica minhasituação?Gostaria que o STJ analizasse todas estas situações e tomasse uma posição mais firme com os responsáveis por este descalábrio contra os educadortes de MG, afinal não somos marionetes nas mãos de políticos inresponsáveis.Acredito em meu potencial em nossa profissão e na educação como forma de mudar tudo isto que está aí.Espero que a justiça faça sua parte e mude o rumo desta história.

  21. ANA - 23 de Abril de 2014

    PREZADOS SENHORES, O QUE EU TENHO VISTO É O SINDICATO DOS PROFESSORES LUTAR PELOS EFETIVOS .EU ESTOU DIZENDO EFETIVOS E NÃO EFETIVADOS . O SINDICATO AO EM VEZ DE LUTAR PARA REGULARIZAR A LEI Nº 100 E FAZER COM QUE FICÁSSEMOS ESTÁVEIS ( TEVE ESTE TEMPO DESDE 2007 ) , MESMO SEM CONCURSO .( EM OUTRAS ÉPOCAS VÁRIAS PESSOAS FORAM EFETIVADAS DA MESMA MANEIRA E NÃO TINHAM NINGUÉM LUTANDO PARA QUE ELAS PERDESSEM A EFETIVAÇÃO ), MAS NÓS NÃO! TIVEMOS O SINDICATO FALANDO O TEMPO TODO QUE A LEI 100 ERA INCONSTITUCIONAL E NÃO FEZ NADA PARA QUE FICASSE CONSTITUCIONAL. O SINDICATO FOI MULTADO PELO JUIZ POR LITIGÂNCIA DE MÁ FÉ QUANDO FOI PEDIDO NA JUSTIÇA A PRIORIDADE PARA OS EFETIVOS NA DISTRIBUIÇÃO DE AULAS E TURMAS. O JUIZ REPREENDEU O SINDUTE E DISSE QUE UM SINDICATO NÃO PODE LUTAR APENAS POR UMA PARTE DOS SINDICALIZADOS E PREJUDICAR A OUTRA PARTE .È INTERESSANTE QUE SÓ SE FALA EM PRORROGAR O CONCURSO REALIZADO E O SINDICATO NÃO SUJERE NADA PARA QUE TENHAMOS A NOSSA ESTABILIDADE PERMANECIDA, OU SEJA , EXISTE UM ARTIGO 19 DA CONSTITUIÇÃO QUE FALA DA ESTABILIDADE APÓS 05 ANOS DE TRABALHO ININTERRUPTO NO SETOR PÚBLICO. POR QUE O SINDICATO NÃO FAZ NADA . FIQUEM ATENTOS

  22. Patrício Ferreira Veloso - 28 de Abril de 2014

    Sou concursado,e perdi aulas porque tem efetivados dando aulas de outro conteúdo na minha escola, fiquei 5 anos estudando na unimontes quando vou trabalha tenho que ver pessoas que fizeram faculdades em outras áreas dando as aulas do meu conteúdo com isso perde o aluno, perco eu perde o professor que não é habilitado para dar aulas de matemática como eu e aí, nobre deputado?

  23. Patrício Ferreira Veloso - 28 de Abril de 2014

    Sou concursado,e perdi aulas porque tem efetivados dando aulas de outro conteúdo na minha escola, fiquei 5 anos estudando na unimontes quando vou trabalha tenho que ver pessoas que fizeram faculdades em outras áreas dando as aulas do meu conteúdo com isso perde o aluno, perco eu perde o professor que não é habilitado para dar aulas de matemática como eu e aí, nobre deputado? o que o senhor tem a dizer para os pais dessas crianças?

  24. José Adauto Nunes - 30 de Abril de 2014

    Senhores ex-efetivados,

    Caiam na real. Vocês foram enganados pelo Governo de Minas. Agora brigam por um direito que, aos olhos da lei, nunca existiu. Se querem continuar no serviço público, acordem, levantem a cabeça, estudem, façam concurso e passem. Sigam em frente e sejam felizes.

    Só peço que parem de se fazer de pobres coitados. A efetivação era ilegal e, a bem da justiça, acabou.

    Sejam felizes.

  25. Eula Satlher - 4 de Maio de 2014

    Desde quando fomos surpreendidos pelo grande presente que o governador nos enviou, a LEI 100, temos recebido criticas e mais criticas como se fossemos totalmente incompetentes. Mas, mesmo sem ter feito os últimos concursos, temos domínio de sala, sabemos passar os conteúdos, trabalhamos com amor, mas ultimamente os concursados tem aparecido em varias escolas pegando seu cargo e no final de uma semana, abandonando porque não conseguem sequer colocar os alunos sentados. temos salas que passaram cincos professores concursados desde o inicio do ano. Será que merecíamos tantas criticas assim?

  26. rita - 4 de Maio de 2014

    Sou ex-efetivada, me sente muito enganada, pois enquato estavamos trabalhando não sabiamos que existiria a LEI 100. E por isso fomos alvo de críticas, comentarios e conversinhas até de nossos próprios colegas de profisão. Agora com essa decisão já ouvi de muitos colegas da ex-efetivados que se realmente sairmos nunca mais pisa em uma sala de aula.Pois a nossa instituição de ensino esta totalmente desertruturada.
    Acho que eu faço parte desta turma.

  27. Maria - 7 de Maio de 2014

    Caros colegas da educação
    O que vejo na educação, atualmente é:Sindute usando os profissionais da educação para eleger representantes do PT e APPMG Fazendo o mesmo em favor do PSDB.É desnecessário estas trocas de ofensas entre categorias como efetivos, efetivados, designados pois não chegarão a lugar nenhum e nossos governantes farão o que for melhor para o estado.Tenho 38 anos de profissão sou concursada nos dois cargos efetivos, aposentada em um deles e procuro ajudar meus colegas de trabalho sem criticar,estou quase saindo da educação e neste tempo todo vejo esta luta que nunca teve resultado,mas sou positiva,ainda acho que as coisas podem mudar na educação,é só cada um fazer sua parte com respeito e responsabilidade, afinal somos educadores e o futuro da nação está em nossas mãos.

  28. pedro h - 8 de Maio de 2014

    concordo prenamente

  29. Professora Concursada - 10 de Maio de 2014

    Senhores ex-efetivados,(Estou com você colega , copiei esta parte)
    Caiam na real.
    Vocês foram enganados pelo Governo de Minas. Agora brigam por um direito que, aos olhos da lei, nunca existiu. Se querem continuar no serviço público, acordem, levantem a cabeça, estudem, façam concurso e passem. Sigam em frente e sejam felizes.Só peço que parem de se fazer de pobres coitados. A efetivação era ilegal e, a bem da justiça, acabou.
    Sejam felizes.
    Ave Maria!!! Gente que não sabe escrever “HABILITADA” efetivada???? é uma vergonha!! Me desculpem aqueles que anos atrás passaram e não foram nomeados , agora o resto, vão estudar e fiquem consolados,pois tiveram estabilidade 7 anos, sem precisar correr, como muitos injustiçados pela esta tal de L 100,os novos formados, os concursados anteriormente,os habilitados ,como muitos que conheço, perder para este modelo descrito acima, não habilitado.
    A justiça tardou,mas não falhou.

  30. Professora Concursada - 10 de Maio de 2014

    Desculpem o erro: PERDEREM para este modelo…não consegui conserta em tempo.

  31. CLEUSA - 12 de Maio de 2014

    O Excelentíssimo Deputado, está equivocado. A lei deve ser cumprida . Espanta-me muito saber que V.Exa. está de acordo com a inconstitucionalidade dessa lei e sabe, portanto que ninguém é ingênuo, nem os políticos que aprovaram, nem os professores. O que aconteceu foi justiça para os efetivos que já estavam a mercê desse episódio que inclusive, passou por essa Assembleia. Sinto muito ,mas o meu voto é para quem, além de outros quesitos, respeitam a Constituição.

  32. CLEUSA - 12 de Maio de 2014

    Nobre Deputado, os efetivos também sofrem com a lei 100. Foi injusta tanto para os efetivados como para os efetivos. Se os autores da lei tivessem colocado direitos que não comprometessem os que passaram num concurso,como escolha de turmas e outros mais, seria justo. E acho que até passaria no STF. O problema foi a equiparação. Não discordo dos colegas, discordo como foi feita a lei,menosprezando os efetivos . Acho que tem lugar para todos. Inclusive ,em alguns sites , colegas dizem que passaram em concursos mas não foram chamados por já estarem na lei 100. Isso é injusto. Como foi injusto também o subsídio, se já tínhamos direito adquirido.São muitos problemas na educação.Os deputados poderiam olhar com mais carinho tudo isso.Afinal, é o futuro do Brasil que está em jogo. “A educação”.

  33. pedro h - 12 de Maio de 2014

    desculpe
    Concordo plenamente!!!!

  34. prof. Reinaldo - 14 de Maio de 2014

    Sou professor concursado da Universidade Estadual de Montes Claros. Atualmente estou afastado já para a aposentadoria.
    Na Unimontes temos excelentes professores efetivos e ex-efetivados, da mesma maneira que lá atuam professores medíocres nessas duas categorias.
    A Lei 100 era inconstitucional e foi, como deveria ser, derrubada. Penso que a justiça, embora tardia, foi feita. Lamento apenas ver efetivos e efetivados se agredindo verbalmente nos sites de relacionamento que abordam o assunto. Ao contrário, deveriam se unir e processar por danos morais e financeiros o verdadeiro culpado disso tudo: o Governo de Minas que, desrespeitando a Constituição Federal, criou essa fantasia e com ela alimentou os sonhos de servidores dedicados à nobre missão de educar nossos filhos.

  35. helio horacio - 18 de Maio de 2014

    serão todos novamente designados,o que não pode é dentista,engenheiro,agronomo,farmaceutico,ocupando vagas de professores.

  36. Stael Duarte - 22 de Maio de 2014

    Estou muito triste com esta situação dos efetivados. Também fui efetivada, mas graças a Deus completei 25 anos de serviço
    bem antes da publicação da Ata na qual o STF não podou o direito daqueles que em 31-03-2014 já havia completado o tempo para aposentar e eu fui uma privilegiada. Agradeço a Deus por ter me concedido esta grande graca

    co

  37. CLEUSA - 28 de Maio de 2014

    Ana, como você é ingênua!Leis inconstitucionais não tem como lutar por ela.Vocês ainda ficaram no lucro. Quando uma lei é considerada inconstitucional, tudo que provém dela é anulado, inclusive tempo de serviço, aposentadoria. Por isso, estou dizendo que foi lucro. Muitos se aposentaram e todos tiveram a contagem de tempo.

  38. CLEUSA - 28 de Maio de 2014

    O reinventando é uma estratégia para dar satisfação de ensino melhor. Muitos alunos pensam que são cursos profissionalizantes. Como reinventar se não houve ainda a invenção? Eu aplaudiria se fosse curso técnico com conteúdos específicos. Aí, talvez, fosse reinventar, como era o curso normal, científico e técnico. São conteúdos bons , mas que não levam a profissão nenhuma.Talvez desperte gosto por determinadas áreas de conhecimento, não, aprendizado específico. E como é cansativo!…

  39. Regina 22 06 2014 - 22 de junho de 2014

    O GOVERNO ENGANOU A TODOS. MAS AINDA E TEMPO, NAO SE ESQUEÇA QUE ESTAMOS EM ANO ELEITORAL .NOSSA RESPOSTA SERA NAS URNAS.

  40. Jose Cordeiro - 28 de julho de 2014

    Jeitinho Mineiro, brasileiro, seja que jeitinho for, sempre agrada quando se é beneficiado. Enquanto os Servidores da Lei 100, curtiam seus supostos cargos efetivados, todo mundo sabia que a Lei era inconstitucional, mas não importava que Lei era, o que importava era que a humilhação de ficar nas enormes filas das chamadas para designação ficariam temporariamente sobrestada. Isto de certa forma causava um certo alívio. Contudo, neste país, ser professor, é viver convicto que se é desvalorizado, ridicularizado, e principalmente deteriorado aos poucos, para morrer logo e dar lugar para outro. O governo Aécio e Anastasia até que tiveram uma boa ideia que durou o tempo necessário para reconduzir eleições ao governo de minas, e provar depois de oito anos, o que mais se comenta em todo Brasil: Servidor da Educação é mesmo trouxa, come o que dão, ou melhor, em Minas Gerais não estão podendo nem merendar na escola, e o café, o diretor se vira pra pagar, é uma vergonha este Estado Mineiro, É uma vergonha este País: Professor que deveria ter opinião própria, ser otimista, e transformar os filhos de tantos filhos, pais, avôs e netos, em cidadãos plenos capazes de auferir mudanças no contexto em que vive, acabam sendo exemplos de fracasso, tristeza, desilusão e sobre tudo, “burros” com tapa olhos, obrigados a não enxergar, ouvir ou falar acerca das arbitrariedades cometidas contra a dignidade da pessoa humana. Mas é claro que para essa classe política da banda podre, professor não merece isso, pois não passa de um robô manipulado para ser infeliz. Se existe algum professor lendo este texto, que pensa diferente, seja pelo menos capaz de abandonar a covardia e de o grito da INDEPENDÊNCIA, e deixe de ser prisioneiro dentro da sua própria órbita: MINAS GERAIS pertence a nós, o BRASIL é dos Brasileiros, chega de DESEDUCAÇÃO, é chegado o momento de VALORIZARMOS NOSSOS EDUCADORES, e dar uma EDUCAÇÃO DE VERDADE para o nosso povo. E não pense que sou qualquer crítico. SOU PROFESSOR, e se quiser falar sobre nossa LIBERDADE entre em contato pelo fone:(33) 3318-9152 – E.E. JOÃO MOREIRA FRANCO – No rico distrito de São Cândido, Município de Caratinga, Estado de Minas Gerais. Seu colega de cárcere: José Cordeiro de Oliveira

  41. maria jose - 29 de julho de 2014

    QUERO INFORMAÇÃO SOBRE O IPSEMG QUE FOI RECOLHIDO E APÓS A INCONSTITUCIONALIDADE DA LEI 100 COMO FAZER PRA TRANSFERI-LO PARA INSS. POIS COM OS ANOS DE TRABALHO E SOMANDO O TEMPO QUE TENHO NO INSS DARIA 32 ANOS DE CONTRIBUIÇÃO. TENHO 54 ANOS E JÁ POSSO APOSENTAR TRANSFERINDO O IPSEMG PAA INSS. FAVOR ME ORIENTAR. OBRIGADA.

  42. Juliana Castro - 7 de agosto de 2014

    Acredito que os professores efetivados pela lei 100 estejam revoltados e não há o que se dizer para que se sintam confortados. Assim como os professores que enfrentam diariamente as oportunidades oferecidas pelas designações, enxergam agora uma oportunidade com o concurso que em breve deve ser anunciado para suprimento dessas vagas. Mas o que me incomoda é ler e ouvir sempre tantas e incessantes reclamações da desvalorização dos professores, mas apenas uma pequena preocupação da parte dos professores com a pessíma educação oferecida aos nossos educandos. A preocupação deveria ser também desmedida com essas crianças e jovens que deixam a escola com total despreparo, uma educação que está sempre capengando e nada é efeito que realmente mude esse cenário. Façam o novo concurso e assegurem o cargo que tanto defendem, mas tenhamos a consciência da importância de nosso trabalho como educador, quem formamos hoje, amanhã poderá ser o político a valorizar a nossa classe.

  43. Patricia de Paula Souza - 13 de agosto de 2014

    Porque ninguém questiona Aécio Neves e Anastasia em entrevista sobre a situação da lei 100 criada por eles.

  44. Lucimar Barreto - 12 de outubro de 2014

    Tenho 25 anos de professora no Estado, mas só tenho 48 anos. então iria aposentar em outubro de 2015 quando faço 50 anos. E agora como fica minha situação?

    e

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *