Notícias

Fique por dentro!
Início » 20 anos depois do 1º escândalo, tucanos insistem em governar Minas

20 anos depois do 1º escândalo, tucanos insistem em governar Minas


A corrida acabou há 20 anos, em 7 de setembro de 1998. Mas, mesmo atolados na estrada e com a lama da corrupção até o pescoço, os tucanos insistem em voltar a governar Minas Gerais. O escândalo foi protagonizado pelo então governador do estado, Eduardo Azeredo, com o auxílio de Marcos Valério. Recursos supostamente destinados à publicidade de uma competição de motocross, o Enduro Internacional da Independência, foram desviados para a campanha à reeleição de Azeredo. Esse foi só um dos casos do mensalão tucano.

A Justiça Federal demorou inacreditáveis 10 anos para aceitar as denúncias que apontavam irregularidades nos contratos de propaganda do Enduro da Independência. Entre 2003 e 2014, inúmeros desmandos foram praticados pelo PSDB em Minas. Mas, por medo das consequências, poucos se atreviam a denunciar os abusos das administrações tucanas. O judiciário, por sua vez, manteve impune os caciques do PSDB mineiro.

Convivemos, por 12 anos, com uma imprensa cerceada. Enquanto isso, na Assembleia Legislativa, nascia o Bloco Minas Sem Censura, formado pelos parlamentares que faziam oposição ao modo tucano de administrar o estado. Com muita luta, apesar de todas as arbitrariedades, conseguimos, pouco a pouco, desmascarar falácias como o “Choque de Gestão”.

Minas Gerais não pode voltar aos tempos sombrios de escândalos, desmandos e mentiras.

Rogério Correia, deputado do PT
Mandato Sempre na Luta
Candidato a federal (n° 1313)
Coligação Juntos com o Povo (PT/PR/PSB/DC/PCdoB) CNPJ – 31.243.441/0001-48
#LulaLivre

ATENÇÃO
Contribua com a candidatura de Rogério Correia a deputado federal. Um mandato por #LulaLivre, pela soberania nacional, pela educação e pelo povo no poder: https://doacaolegal.com.br/rogerio-correia

 

Cadastre-se e receba o conteúdo especial que preparamos pra você!

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *